Blog do Xico Malta

Afinal, por que Balotelli é assim?

Posted in Do Malta by xicopati on 01/07/2012

Se você não torce pra Itália ou pra a Espanha, não se preocupe, Mario Balotelli é o principal motivo para assistir neste domingo a grande final da Euro:

Conhecido também como “Super Mario”, o jovem atacante é o artilheiro da competição, o primeiro atacante negro a vestir a camisa azurra, uma das maiores promessas do futebol italiano e o único “Rock star” do futebol mundial, segundo o vocalista da banda inglesa Oasis, Noël Gallagher, fanático torcedor do Manchester City, equipe do italiano.

Quando se fala em Balotelli vem a mente a sua lista interminável de loucuras e estripulias. Depois da Euro, obviamente o craque italiano será lembrado por seu ótimo desempenho dentro de campo.

Dentre as peripécias, o atacante do Manchester City lançou dardos em crianças de seu clube, brincou com seu iPad enquanto estava no banco de reservas em uma partida internacional, colocou fogo em sua própria casa ao ascender fogos de artifício dentro do banheiro e tentou entrar em um presídio feminino em Brescia. Em campo, ele também é capaz de fazer o inesperado, como por exemplo, tentar uma jogada de efeito na frente do goleiro e perder o gol (veja o vídeo abaixo).

Por outro lado, o craque de 21 anos ofereceu um tanque cheio para todos os carros que passavam em um posto de gasolina, ajudou uma criança encontrada por acaso a resolver seus problemas com os coleguinhas da escola e propôs pagar as multas dos estudantes da Universidade de Manchester que atrasaram a devolução dos livros à biblioteca.

O simples prazer da provocação não é o suficiente para entender as suas excentricidades. Sem querer entrar na psicologia de botequim, para entender Mario Balotelli é crucial conhecer a vida deste jovem atleta que sofre de uma grave crise de identidade e vários traumas de infância. A sua midiatização excessiva não contribuiu obviamente para a sua recuperação.

Primeiro o racismo. Balotelli cresceu na periferia de Brescia, coração de uma Itália cinzenta e laboriosa, onde ele era o único negro de sua localidade. Ao longo de sua carreira, os estádios onde ele atuava imitavam macaco, lançavam bananas e colocavam faixas do tipo: “Não há negros italianos”. E apesar de seu sucesso, as coisas não mudaram muito.

Logo na primeira partida da Euro, torcedores croatas imitavam macaco e lançaram bananas em direção ao atacante italiano.

Alguns dias antes dele marcar dois gols e eliminar a Alemanha na semifinal, a Gazzetta dello Sport cometeu um grave deslize ao publicar uma charge representando Balotelli como King Kong em cima do Big Ben (recém rebatizado Torre Elizabeth).

Filho de imigrantes ganenses, depois de longos meses hospitalizado devido a uma má formação do abdômen, ele foi adotado por uma família de Brescia aos dois anos de idade. Balotelli, que nunca colocou os pés na África, não aguenta mais sofrer com o racismo. Na revista France Football, no final de maio deste ano, o atleta desabafou:

“Eu não entendo o racismo, eu não aceito. Estamos em 2012, não é possível. Se alguém me jogar bananas na rua, irei à prisão pois irei matá-lo.”

Em abril deste ano, a revista francesa publicou um excelente retrato do craque italiano realizado a partir do testemunho de várias pessoas próximas. Sua professora Tiziana Gatti explicou que nunca havia encontrado um aluno tão perturbado.

Quando criança, ele fazia o seu autorretrato com o seu rosto pintado de rosa. Nada mais simbólico em uma pequena mente em completa crise de identidade.

Muito bem acolhido por sua família adotiva, o menino, até os seus 18 anos, era obrigado a visitar os seus país biológicos regularmente, como determina a lei.

Um de seus ex-colegas do clube de Lumezzane contou:

“Quando se aproximava o dia de visitar a sua família biológica, ele ficava cada vez mais irritado. Ele dizia que não queria ir, que ele tinha medo de não voltar mais.”

Aos 18 anos, finalmente naturalizado italiano e emancipado, Balotelli escreveu uma carta para a imprensa: “Gostaria de deixar claro uma coisa. Ninguém nunca obrigou meus país a me abandonar. Por que somente agora que estou na Serie A que eles foram descobertos? Não tenho nenhuma orbigação com eles. Pra mim, eles são pessoas estranhas.”

Hoje em dia, Balotelli é um sujeito carismático e dificilmente gerenciável. Seu empresário o compara ao Peter Pan. Um sujeito que não quer virar adulto mas que tem poderes mágicos (dentro de campo).

Quando pequeno, ele urinava dentro das bolsas de seus colegas de escola. “Engraçado mas bem pesada a brincadeira”, disse um de seus colegas de infância. Atualmente, suas artes mudaram de dimensão. Por causa disso tudo e por ser o único jogador profissional da cidade a andar nos mesmo lugares que os torcedores de Manchester adoram o seu Super Mario dedicando-lhe esta canção:

Leia mais neste post publicado aqui neste espaço.

Balotelli precisa matar um leão por jogo para mostrar ao mundo a sua força, a sua categoria e sobretudo a sua existência como ser humano.

Torcemos todos por Balotelli, ele merece!

2 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Leandro said, on 02/07/2012 at 19:24

    Otimo post

  2. Felipe Alves said, on 05/07/2012 at 22:47

    Ótimo post².


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s