Blog do Xico Malta

Copa do Rei: Um pedido polêmico

Posted in Do Malta by xicopati on 25/05/2012

 

“Espe, Por que no te callas!” A imprensa catalã foi dura com a presidente da região de Madrid, Esperanza Aguirre (Partido popular de direita) a qual é a favor da disputa a portas fechadas da final da Copa da Espanha, prevista nesta sexta-feira, entre Athletic de Bilbao e Barcelona. A ideia seria evitar que os torcedores bascos e catalães vaiassem o hino espanhol.

“O ultraje à bandeira e ao hino nacional são considerados crimes de acordo com o Código Penal espanhol. Não podemos tolerar isto e creio que o jogo deveria ser adiado e disputado a portas fechadas”, declarou na terça-feira passada na rádio Onda Cero.

Senhora Aguirre teme que se repita o ocorrido na final da Copa do Rei de 2009 disputada entre ambas as equipes quando os torcedores vaiaram efusivamente o hino nacional. Um momento embaraçoso censurado na época pela televisão pública TVE (assista o vídeo abaixo).

Os jornais catalães retrucaram a proposta nesta última quarta-feira. O jornal de esportes Mundo Deportivo publicou em sua capa: Por que não te calas? O jornal Vanguardia, em seu editorial intitulado “o erro de Aguirre” solicitou aos políticos de não causarem tanta polêmica sobre este fato e não brincarem de  bombeiros piromaníacos.

O ministro do interior, Jorge Fernandez Diaz, também pediu a colaboração de todos para acalmar os ânimos. O presidente do Barcelona, Sandro Rosell, em contrapartida, solicitou aos torcedores de “exprimirem livremente seus sentimentos”. O zagueiro blaugrana Gerard Piqué estimou na coletiva de imprensa que havia problemas muito mais importantes que tinham que ser levados em conta no país. Em profunda recessão desde o início do ano, a economia espanhola está assolada pelo desemprego de 24,4% e um recuo do PIB de 1,7%.

Alguns deputados da oposição acusaram a presidente, figura marcante do partido da maioria, de querer desviar a atenção da opinião pública das dificuldades financeiras da região. Outros insistiram sobre a autorização de manifestar dada pelo Tribunal Superior de Justiça de Madrid às associações de extrema direita no dia da final no estádio Vicente Calderon, com o slogan “Contra o separatismo, uma bandeira”. A Casa Real lamentou a politização do jogo e indicou que o Príncipe Felipe estará presente na final como previsto, substituindo a ausência do rei Juan Carlos, ainda convalescente de um cirurgia depois de uma queda em um polêmico safari.

 

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. Adimilson Zabala Nunes said, on 26/05/2012 at 20:50

    Esperanza Aguirre, a presidenta da Comunidade Autônoma de Madrid, filiada ao Partido Popular de direita tratou de colocar gasolina neste incêndio que é a questão da autonomia das nacionalidades históricas. Mas ela não está sozinha nesta barca “populista”. O PP é repleto de políticos imbecis. A começar pelo Ministro do Interior, Jorge Fernández Díaz, que disse que os bascos que estão fora da região do País Basco por causa do terrorismo, poderiam votar. Ou seja, para Fernández Díaz, quem ficou em Vitória, San Sebastián e Bilbao, são terroristas. Já as ações de Esperanza são antigas. É um prato cheio para os tablóides. E suga de onde pose sugar, o sangue que lhe dará mais cinco minutos de evidência. Basta recordar as atitudes da presidenta quando a Fúria ganhou a Copa do Mundo de 2010. Visivelmente alterada por causa de alguns goles, proferiu palavras que não cabem em uma autoridade, como ela é. Numa entrevista, tentando explicar a intrigante fusão de alguns bancos de Madrid, chamou um adversário de FDP. Em outra ocasião, fazendo campanha para releger-se, Esperanza tenta captar o voto de uma mulher. Esta diz que votará no rival de Esperanza. Então, a senhora Aguirre fala em tom de deboche a um assessor, que a mulher é ignorante, analfabeta, besta e pobre. Athletic e Barcelona tentaram a todo custo, mudar o local da final da Copa. O estádio que era comum as duas direções, o La Cartuja de Sevilla, um verdadeiro elefante branco construído as custas do Estado Espanhol para abrigar um Campeonato Mundial de Atletismo, está as traças. Sediou uma final de Copa da Uefa em 2003. Em péssimo momento político, Esperanza tenta a todo custo, tentou estar na mídia nas últimas semanas. Esteve ao lado do Atlético de Madrid, vencedor da Europa League. Vestiu-se de colchonera. Quando da conquista da Liga pelo Real Madrid, pegou carona no vonde merengue. Estava como “blanca” e confessou ser uma fã incondicional de Mourinho, a quem ela chamou de “Mou”. Quando ela numa entrevista bombástica revela que caso ocorresse apupos e assovios contra o hino espanhol e o então Príncipe de Astúrias, queria Aguirre mostrar uma tribuna repleta de gente de seu partido, partidários de uma única Espanha, a mostrar uma grande imagem de indignação com os atuais rumos da nação, destroçada pela economia. Alguém tinha que pagar a conta – bascos e catalães. Embora rechacem a fama de serem herdeiros do franquismo, Esperanza Aguirre e o PP praticam de um nacionalismo onde predomina o famoso “eu ordeno, eu mando”. Para piorar, ela que poderia vetar a Marcha da Extrema-Direita marcada no mesmo dia, nada fez. Seus partidários rebateram suas considerações. O desconforto na tribuna foi visível. Diria que até delicioso, tamanha a prepotência de muitos que lá estavam. A começar pela TVE, a emissora pública do país. Em 2009, eles manipularam o áudio, não permitindo que quem estivesse em casa, pudesse ouvir o apitaço no Mestalla. Desta vez, instalaram várias caixas de som no Vicente Calderón para aumentar a potência do som e sobrepor as vaias e apitos. A TVE novamente prestou um desserviço. Em casa pode-se apenas ouvir o hino espanhol. Mas há vídeos no youtube, gravados por torcedores do Athletic e do Barcelona, em que as vaias e apitos dominaram a cena, que fica caracterizada na cara de pastel da então vice líder do governo de Mariano Rajoy, Soraya Sáenz de Santamaría, que tenta a todo custo, bater palmas e mostrar que tudo está normal. Déficit fiscal acima do normal com números maquiados que estariam escondendo um rombo ainda maior. Aguirre usou o futebol para fazer fumaça. Tentativa que a vice-presidenta Soraya Saenz já havia feito quando disse que a Espanha deveria se importar primeiro em melhorar a saúde pública para atender os espanhóis. Depois, os imigrantes, sejam eles legalizados ou ilegais. Mesmo que estes estivessem numa situação de emergência crítica e um espanhol, podendo esperar um pouco mais.

    Estes são os políticos do Partido Popular. Não muito diferentes dos membros do PSOE. E tão cretinos como os brasileiros.

    Um vídeo do Youtube que mostra o ambiente do estádio. Esperanza é “homenageada” pela torcida. E dá-lhe apitaço!

    E neste, um artigo do boçal Julián Ruiz, que joga mais lenha na fogueira quando ele fala que o ambiente no estádio San Mamés, em Bilbao, é de puro terrorismo e que a atmosfera na região é detestável. Diz a boca pequena que Julian Ruiz é financiado por grupos extremistas da facção Ultras-Sur (os dois SS já confirmam a ideologia). Teria ele “amparo” do Judiciário Espanhol e por gente graúda do PP.
    Do jeito que escreve, é bem possível.
    http://www.elmundo.es/blogs/deportes/cortadorcesped/2012/05/03/el-gran-fracaso-de-los-anti-mou.html

    O longo texto deriva do fato de minha família ter origens no País Basco.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s